29 de maio de 2009

Campanha do Paço #10 - Novo recomeço, velha aventura!

Olá pessoas! Não, eu não morri. Muito pelo contrário, estou consumindo minha vida de maneira exaustiva em meu novo curso universitário. Meu tempo livre fugiu com minhas horas de sono e foi morar nas Bahamas, me deixando na mão e me tornando um zumbi. Somando isso ao fato de estar há mais de 2 meses sem jogar RPG pq minha antiga mesa se amotinou, imaginem como estou numa grande redoma de stress.


Mas, enquanto há vida, há esperança. Conheci um cara na faculdade que joga RPG, e está precisando de narrador. Engraçado como aqui em Recife, há uma falta absurda de JOGADORES, pois todos querem MESTRAR. Em qualquer outro canto que morei, sempre haviam trocentos jogadores pra um mestre. Bem... Recife é um lugar estranho.

Como não estou com muito tempo para criar atualmente, decidi que irei mestrar uma antiga aventura minha com GRANDES modificações. Vou alterar algumas coisas, mas o esqueleto vai ser basicamente o mesmo. Inclusive o banner.

Fiquem de olho neste humilde blog que espero ter voltado às atividades. Para começar os trabalhos, um pequeno histórico sobre a concepção da aventura. Como alguns sabem, estou numa grande maré de falta de idéias que espero acabar com este retorno. Estou lendo muito mais coisas, conhecendo histórias que não conhecia, pegando material de referência para ser usado. A partir daí, eu peguei algunas aventuras clássicas sobre Mind Flayers da série Monstrous Arcana do meu amado e finado AD&D. As aventuras foram: A Darkness Gathering, Masters of Eternal Night e Dawn of Overmind.

Não vou dar mtos detalhes da trama para não estragar nem rolar um Spoiler maroto na campanha (E espero que os jogadores não conheçam ou não leiam o livro). As três aventuras falam basicamente de mind flayers tentando dominar a superfície da Terra, lembrando que eles são muito sensíves à luz do sol.

O Manipulador de Sonhos
História: Daniel "Careca" Braga e Bruce R. Cordell

Casting:

Rafael Formiga - Magnus, O Magnífico

Prólogo:

Estava escuro, Guss corria pelos becos estreitos de Ankorros e esperava chegar até a 'Casa de Trocas', como era conhecida a guilda de ladrões da cidade. A criatura que o perseguia não parecia andar tão rápido, mas sempre aparentava estar à sua frente de qualquer forma. Talvez fosse um tipo de mago, ou talvez alguma criatura pior.

Guss era o prefeito da cidade, porém, sabia que seu cargo era apenas simbólico. Os ladrões da Casa de Trocas o colocaram no poder por ser extremamente burro e manipulável, e de uma forma de outra, ele sabia disso mas não se incomodava. Recebia uma boa quantia em dinheiro como propina e poderia sustentar sua vida luxuosa por um bom tempo. Pelo menos até os ladrões enjoarem de seu trabalho.

A criatura parecia estar sempre próxima, o que forçava o rechonchudo prefeito a mudar seu caminho cada vez que estava bem próximo de seu destino. Ela parecia estar brincando com ele, estudando o quanto ele poderia fugir para então dar seu bote mortal. Guss começou a sentir um enorme arrependimento por ter ouvido aquela voz que latejava em sua cabeça. Ela dizia para ele ir ao lago. Será que foi tudo uma armação de um mago inimigo da guilda? Depois que se viu encurralado, decidiu procurar a Casa de Trocas para pedir ajuda, afinal, era importante demais para aqueles ladrões.

Faltavam apenas duas ruas, Guss já não aguentava mais correr, sentia seu coração palpitando e quase saindo pela sua boca. Sua respiração estava muito ofegante e ele pensou consigo "Se eu não morrer pela criatura, morro do coração".

Precisava apenas dobrar uma esquina e chegaria à porta da Casa. Mas antes que pudesse alcançá-la, sentiu uma forte dor no peito e caiu no chão. Seria esta a hora que a criatura o pegaria de jeito. Viu a silhueta humanóide se aproximando, caminhando lentamente em sua direção. Estava muito escuro, ninguem estava com a janela aberta, amaldiçoou seu azar naquela hora. Tentou olhar em volta, talvez encontrasse algum membro da milícia da cidade, mas novamente sem sorte. Como último recurso, tentou gritar, mas a voz não saiu. É... Estava perdido.

Ao se aproximar, ouviu em sua mente palavras em um idioma estranho que soava como alguem amassando uma folha de papel. Estranhamente ele sabia o que a criatura queria dizer: "Você agora é meu, prefeito!

  • PS: O sistema NÃO será PATHFINDER. Jogaremos o bom e velho D&D 3.5. Caso o pessoal decida que quer migrar para PATHFINDER, pensarei no caso.

  • PS2: Alterarei o Banner e o Casting de acordo com as confirmações de jogadores!


2 comentários:

Rafael Formiga disse...

Rafael Formiga no papel de Magnus, O Magnífico (e Corax o não-tão-magnífico).

Mi disse...

Spoiler maroto pra mim pode, né?

Por falar em marotices, isso não tem NADA a ver com o que eu li nos seus alfarrabios...aquela história estava foda, você precisa usá-la.
Eu lembro de Guss! Ele é quase um laranja medieval. xD